Sobre o Perú

O Perú, é sem dúvida, um dos mais fantásticos destinos de viagem do mundo!

A colorida e exuberante cultura Andina, herdada principalmente do Império Inca, vibrará durante toda a sua viagem.

O magia de Machu Picchu, a mais alta cadeia de montanhas do mundo, a maravilhosa culinária, a Selva Amazónica, as excitantes atividades de exploração da natureza, as paisagens deslumbrantes, o Perú é sem dúvida um dos destinos de topo mundial para se viajar.

Capital

 Lima

Língua oficial

Espanhol (80% da população) e Quechua (zona dos Andes). Nas zonas mais turísticas, o Inglês pode ser uma alternativa.

Dinheiro

  • Moeda Oficial – Nuevo Sol (PEN). O Dolar dos EUA também é utilizado correntemente (apenas notas em bom estado de conservação);
  • É conveniente ter na carteira uma pequena quantidade de dinheiro local para despesas do dia a dia;
  • Cartões de crédito e ATM – utilização corrente nas principais cidades e zonas turísticas;
  • Câmbio – Não é aconselhável trocar dinheiro em qualquer lugar, pois há muitas notas falsificadas em circulação. Peça uma indicação no hotel ou no escritório oficial de turismo. Na fronteira ou no aeroporto, troque apenas o suficiente para as despesas mais imediatas, pois a taxa de câmbio normalmente não é boa.

Clima

O Perú tem teoricamente, duas estações principais: a seca (abril a outubro) e a chuvosa (de novembro a março). No entanto, o clima no Perú varia muito consoante a região geográfica.

Na zona das principais atrações turísticas (Cusco, Machú Picchu, Lago Titicaca, etc), a melhor altura é durante a temporada seca, sendo os meses mais concorridos os de junho e agosto. As amplitudes térmicas são enormes, podendo variar entre 25 graus durante o dia e próximo da madrugada atingir temperaturas negativas. É possível visitar estas atrações na temporada húmida, mas é necessário ter sorte para não apanhar mau tempo.

Visto

 A estadia máxima no Peru é 183 dias por ano e é necessário ter passaporte com uma validade mínima de 6 meses. Não é possível a extensão do visto após a entrada no Perú, sendo o visto de turista apenas de entrada única. É possível que seja exigida à chegada um comprovativo de bilhete de saída do país.

Dependendo do seu país de origem, poderá ser isento de visto, apresentando apenas o seu documento de identidade nacional, ou passaporte.

Aeroportos Principais

Aeroporto Internacional Jorge Chaves LIM (Lima);

Aeroporto Teniente Alejandro Velasco Astete CUZ (Cuzco);

Aeroporto Internacional Alfredo Rodríguez Ballón AQP (Arequipa)

Aeroporto Internacional Capitão FAP Carlos Martínez de Pinillos TRU (Trujillo).

Fuso Horário

GMT – 5

Telecomunicações e Internet

  • Indicativo + 51
  • Chamadas telefónicas-aconselhável comprar um cartão pré-pago de uma operadora local e usar no próprio telemóvel. As chamadas são baratas;
  • Internet – oferta de wi-fi geralmente em hotéis, restaurantes, cafés e cyber-cafés.

Religião

80% Religião Católica

Saúde

De uma forma geral, não é aconselhável a ingestão de água corrente, legumes ou frutas não desinfetadas.

São recomendáveis vacinas contra a hepatite, tétano, febre tifóide e a pólio.

Nas zonas da Selva Amazónica e regiões irrigadas da costa é aconselhável proteção contra insectos (usar repelentes, cobrir a pele com roupa e dormir sob rede mosquiteira). Nestas zonas é ainda recomendável a vacina contra a febre amarela e proteção contra a malária.

Nas zonas de maior altitude, (superiores a 3000m) as pessoas podem sentir a “doença da altura” (el soroche, como é conhecida pelos locais), que se traduz em dificuldades respiratórias, dores de cabeça e cansaço. O ideal é fazer a subida gradualmente, evitando migrar de regiões próximas ao nível do mar directamente para áreas acima dos 3.000 metros. É aconselhável ainda ser moderado na ingestão de sólidos e líquidos nas primeiras horas após a chegada, para permitir a adaptação, bem como evitar grandes esforços físicos no primeiro dia. Os locais aconselham mascar folha de coca ou beber mate de coca e em casos mais difíceis tomar a medicação adequada (soroche). As pessoas com problemas cardíacos deverão consultar o seu médico antes de ir para estas zonas.

Nas zonas da costa, é aconselhável proteção solar.

O acesso a instituições de saúde pode não estar acessível em todas as regiões do país e poderá ser dispendioso. No entanto, na capital, existem boas clínicas e hospitais privados.

Share some Love:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *